O que você precisa saber sobre Deuteronômio

Chegamos ao último livro do Pentateuco. Na leitura bíblica anual, você conseguiu passar pelos desafios de Levítico e Números. Agora você olha para Deuteronômio e pensa: "Mais Moisés?". Pois é! Teremos mais discursos de Moisés, relembrando a nova geração de israelitas o que Deus fez pela geração anterior e o que vai fazer por eles quando chegarem à Canaã.


Mais uma vez, vamos dar cinco dicas para você entender o livro. Segue aí!


Monoteísmo é uma ideia central


Deuteronômio é o livro do Pentateuco que mais enfatiza que o Deus de Israel é o único que deve ser adorado. Lembramos logo do capítulo 6:

Escute, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Deuteronômio 6:4 NAA

Moisés estava levando a nova geração de israelitas para a terra prometida, que manava leite e mel. Ao lermos o Pentateuco sabemos que aquele território era habitado por vários povos que adoravam a outras divindades. Por isso, ele enfatiza que o Deus que tirou eles do Egito deve ser o único digno de adoração, e não os deuses dessas outras nações.


A justiça em Deuteronômio é retributiva


O livro de Deuteronômio, a partir do capítulo 28, temos a aliança de Deus com Israel. Se Israel andasse nos caminhos do Senhor, seria abençoado. Se decidisse sair dos caminhos do Senhor, seria amaldiçoado.


O cuidado que devemos ter ao entender essa questão é: não devemos cair no erro dos amigos de Jó e dos discípulos de Jesus em João 9, com o cego que foi curado. Ambos olharam para a calamidade e questionaram o que Jó e o cego fizeram para serem punidos. Essa é uma deturpação da ideia de justiça retributiva, porque nos coloca em um local de barganha com Deus.


Existe um objetivo para que Deus coloque os termos de bênção e maldição na aliança. O que nos leva ao terceiro ponto.


Israel deve ser um modelo


O objetivo da aliança era mostrar que Israel deveria ser um povo diferenciado, um luzeiro para o mundo. Por isso é tão importante que Israel guardasse a lei. Israel é um tipo de exemplo, de modelo para que os outros povos olhem e reconheçam que só existe um único Deus.


Não guardar os estatutos de Deus seria falhar nessa missão, se tornar como os outros povos. Se isso acontecesse, o mundo ficaria sem um modelo de justiça e integridade. Por isso as maldições, o exílio.


Israel deve ser um sacerdote


Israel não seria um exemplo, mas seria um ponto de encontro entre Deus e os outros povos. Israel é uma nação com função sacerdotal. Além de mostrar como se deve servir o Deus verdadeiro, os outros povos iriam adorá-lo por meio de Israel. Isso cumpre a promessa feita a Abraão de que todas as famílias da terra seriam benditas por meio dele.


Deus é fiel com suas escolhas


Sabemos que não somos capazes de obedecer à lei, Israel não foi o modelo, não foi o sacerdote que Deus esperava. Israel caiu constantemente em sua história. Mas diante das falhas que o povo escolhido tinha, Deus continuou fiel.


Deus honra sua eleição. Ele promete alguém: Jesus, o rei de Israel. Por meio dele, ele cumpre a missão de que o povo escolhido seria luz para todos os povos. Assim, Deus une judeus e gentios em um só.







6 views0 comments

Recent Posts

See All