Deus quer preservar as espécies? (parte 1)


O que a Bíblia tem a dizer sobre nosso papel em relação a preservação das espécies? Talvez, em uma leitura superficial, não conseguimos ver de forma clara. Ou talvez achamos que a situação deve ficar pior e esperar a redenção de tudo com Jesus, afinal, é o que Romanos 8 diz.


Mas será que é isso mesmo?


Na Bíblia Hebraica


Quando questionamos as Escrituras sobre o que ela diz a respeito da preservação das espécies, o texto que nossa mente lembra é Gênesis 1:26-28:

Então disse Deus: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os grandes animais de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão”. Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Deus os abençoou e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra”. (NVI)

E também podemos lembrar de Gênesis 2:15:

O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo. (NVI)

Ao olharmos esses textos, relacionamos a preservação das espécies ao papel da humanidade em ser imagem e semelhança de Deus. Nós recebemos a função de cultivar e guardar a boa criação de Deus. Não são textos que falam explicitamente da preservação, mas ela está embutida ali.


Na Bíblia Hebraica temos uma narrativa que fala explicitamente sobre a preservação das espécies por Deus, como algo que ele deseja: a história de Noé. Longe de ser apenas um versículo, uma perícope, essa narrativa mostra como Deus deseja que as espécies sejam preservadas do seu juízo sobre o mundo.


Fora de Gênesis, temos dois outros textos em que Deus ativamente parece querer a preservação:

Contudo, Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem nem distinguir a mão direita da esquerda , além de muitos rebanhos. Não deveria eu ter pena dessa grande cidade?” Jonas 4:10-11 NVI

Aqui temos Deus em diálogo com o profeta Jonas sobre a salvação de Nínive. O Senhor tinha poupado a cidade, que jejuou e orou, se vestiu de panos grosseiros em sinal de humilhação e atá vestiu os animais (3:8-10) para alcançar o perdão do Deus de Israel. Agora no final do livro, ele demonstra que teve misericórdia em preservar os animais da cidade.


O outro texto é um salmo:

A tua justiça é firme como as altas montanhas; as tuas decisões, insondáveis como o grande mar. Tu, Senhor , preservas tanto os homens quanto os animais. Salmos 36:6 NVI

Aqui o salmista exalta a justiça de Deus ao preservar os animais! Ativamente, o Senhor age na preservação das espécies.


Tensões


Os textos que apontamos dão um início para uma compreensão do tema que queremos abordar. Mas não podemos deixar de procurar textos bíblicos que gerem algumas tensões, como por exemplo:

Pela mesma palavra os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para a destruição dos ímpios. 2 Pedro 3:7 NVI

Textos como 2 Pedro 3:7 geram a impressão de que Deus não quer cuidar da criação nem preservar as espécies. O problema é que esses textos geram uma multiplicidade de interpretações e é justamente por esse fato que não podemos usá-los para dizer que Deus não quer preservar as espécies. Eles não geram uma tensão que seja suficiente para contrapor o que vimos até agora.


Procurar esses textos, interpretar e harmonizar são partes importantes do processo porque nos ajudam a ver o todo das Escrituras.


Se concluímos que Deus tem um propósito ao preservar as espécies, precisamos continuar pensando na importância da questão. Para isso, precisamos fazer uma pergunta:


O tema tem a ver com a história da redenção?

Em breve, responderemos essa questão.



49 views0 comments

Recent Posts

See All