4 Motivos pelos quais a Teologia Sistemática de Hodge ainda é excelente

Alguns de vocês que me acompanham aqui no Pensamento Teológico ou no Youtube sabem que Teologia Sistemática não é a minha especialidade. Embora não seja a minha área de domínio, eu sou fascinado por ela - especialmente quando bem feita, com rigor metodológico. Quando uma obra é feita desta forma, ela resiste aos ataques do tempo. É o caso da Teologia Sistemática de Charles Hodge.


Você pode comprar a versão impressa, em português, ou digital, em inglês, pelos nossos links da Amazon aqui mesmo nesse post. Basta clicar nas imagens ao lado.

Embora, seja um livro que mereça parte das críticas que recebe (mais sobre isso no fim do texto), eu vejo ainda 4 motivos pelos quais ela permanece uma obra de valor inestimável para o estudante sério da doutrina cristã protestante. Mais especificamente entre reformados, Hodge merece leitura atenta e carinhosa pelo que listo abaixo.


1. Firme base bíblica e exegética Charles Hodge foi um exegeta competente e isso se observa no livro, tanto em sua proposição metodológica quanto no desenrolar dos argumentos. Uma boa parte dos teólogos sistemáticos falham justamente nesse quesito. Eles afirmam que farão uso de exegese e da Teologia Bíblica para compor sua doutrina, mas na prática acabam tirando versículos de seus contextos para provar seus pontos. Hodge se propõe a ser bíblico e alcança esse objetivo na maior parte das vezes.


2. Cristologia Sólida


Entre os proponentes da soteriologia reformada, Hodge é um dos mais sofisticados. Ele apresenta com fidelidade e respeito os pontos de vista que diferem do calvinismo e argumenta contra eles com precisão lógica. Mais importante do que isso, entretanto, é que sua soteriologia é menos preocupada com o destino do ser humano do que é preocupada com Cristo. Ao responder às questões sobre salvação, Hodge apresenta o dono dela. Cristo é apresentado de maneira abrangente, graciosa e vigorosa.


3. Dez Mandamentos


Qual não foi a minha surpresa ao me deparar com os 10 Mandamentos em uma Teologia Sistemática. Eu tinha os meus vinte e poucos anos quando comprei o meu exemplar e talvez os capítulos sobre a Lei tenham sido os mais utilizados desse livro até hoje. Excelente exposição do Decálogo. Estou até pensando em criar um curso online sobre isso.


4. Elegância


Aqui eu elenco o principal motivo para se ler Hodge. Ambiguamente, ele é tão elegante quanto ingênuo - fruto máximo do Século 19. Ele afirma um método teológico que seja tão rigoroso quanto o método científico. Enquanto as Ciências Naturais têm o mundo material como objeto de estudo, a teologia tem a Bíblia como seu objeto. É um prazer como leitor fazer o exercício de separar a autoconfiança inabalável de quem não conheceu a pós-modernidade das qualidades retóricas e lógicas assombrosas do autor.


Veredito: A Teologia Sistemática de Hodge não seria a minha primeira opção de compra. Na ordem de prioridades, ela vem depois de Bavinck e Horton entre reformados ou Erickson entre evangélicos em geral. Para mentes curiosas, é um deleite. Para presbiterianos, uma obrigação. Da sua polêmica escatologia, passando por seu lado menos ilustre como escravagista (que pregava o tratamento humano e digno a todo escravo), Hodge é um clássico por mérito muito mais do que por fama. Outras Teologias Sistemáticas que eu indico:




















0 views
pensamentoteologico.png
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon